Report / Portugal + Alemanha + Holanda e Belgica / com Fotos

Queridos Amigos,

depois de 13 dias de viagem estou parando para escrever um report sobre como tem sido a experiência de visitar estes países Europeus, conhecer um pouco do povo e da Igreja,  servir com alegria a tantos irmãos que temos por aqui.

Reconheço que era inviável a idéia inicial de escrever diariamente… o ritmo por aqui tem sido acelerado, e somente agora estou com uma agenda menos carregada, o que me possibilitou tirar um dia livre para descansar, organizar as ideias, conferir o material produzido de fotos, videos e entrevistas.

Musica e Livro de Viagem

A trilha sonora determinante tem sido Udora: Liberty Square. As vezes varia para Poema: Sing it Now, mas já rolou SpaceSuit, Nueva Etica e Jesús Adrián Romero, que peguei de um Chileno na Alemanha.

A leitura está difícil de ser realizada, mas quando acontece, acontece com Billy Humphrey: The Culture of Kingom “A Call to the sermon on the mount lifestyle”.

Brasil

Bom, a saída do Brasil foi corrida, e com um detalhe muito importante: a versão europeia de Uns Aos Outros ficou parcialmente pronta. Somente os CDs foram entregues (no saguão de embarque do aeroporto) porém os envelopes não ficaram prontos a tempo, o que me deu a brilhante ideia de, em vez de vender o CD (que ao meu ver estava desqualificado para venda estando sem capa), distribui-lo gratuitamente para todos.

Eu e Stéphanie concordamos no plano, que nos soou bem divertido, apesar de que o CD havia sido planejado para contribuir com as despesas da viagem, mas mesmo assim, seguimos em frente: 200 copias grátis para quem desejasse🙂

Um milagre de multiplicação aconteceu juntamente com esta decisão, mas eu conto mais pra frente.

Logo de saída no Rio de Janeiro, e durante todo o voo Rio x Lisboa, eu estava apreensivo com a questão da imigração, devido a minha experiência no ano passado na Espanha. Tive que reconhecer que enquanto estava no processo de deportação, estava fortalecido em Deus para viver aquilo sem dar espaço ao medo, mas depois, voltando a pisar no chão, comecei a ver a enrascada que estive, de como foi tenso, e que eu não gostaria de viver aquilo novamente.

Estive, por conta disso, orando bastante durante o voo, mas também foi a oportunidade para conhecer os parceiros de viagem, uma bela equipe que formamos para atacar a Europa, que aqui eu lhe apresento:

Vinci, amaaaaado

Vinci e Samia Barros: são o casal responsável por toda a viagem nos mínimos detalhes. Vinci é um apostolo com laços em dezenas de nações, e sempre que possível, leva convidados ao campo. Detalhe importante: Padrinhos de Casamento🙂

Dag e Marcia Gabler: entre muitas coisas, são minha “cobertura espiritual” em Vitória. Detalhe importante: Um casal para se imitar🙂

Val e Tania Barcelos: Não os conhecia até agora. Eles são líderes da Igreja em Teixeira de Freitas/BA e foram para lá enviados de Vitória/ES. Detalhe importante: Tania ganhou o lindo apelido de NoNo, que para os de fora é a abreviação de No Notion🙂

Alan Mateddi: é um jovem irmão, apelidado de mascote da viagem, filho do Casal de Presbíteros em Aracruz/ES. Fotografou com qualidade todos os nossos passos. Detalhe Importante: Todas as atividades difíceis, pesadas ou distantes ficavam sob sua responsabilidade🙂

Ari: Este homem é um pote de alegria e diversão. Pastor em Campinas/SP, discipulo do Dag. Detalhe importante: Só volto a europa se ele vier junto🙂

Portugal: Lisboa, Almada, Sintra.

Chegamos em Portugal de manhã cedo, e ainda estava noite, nos dirigimos ao balcão de imigração e eu fui no guichê juntamente com Vinci e Samia. Apresentamos os passaportes, ganhamos o carimbo e seguimos a diante. Ufa! Sem grandes emoções, e uma boa anestesia de paz.

Alugamos a Van, encontramos o Anderson (pastor, meu primo e anfritião) e partimos pra casa do Anderson, onde ficamos 5 dias.

Na chegada, o dia era livre, e na primeira saida, fomos comer o famoso pastel de Belém e andar pela bela cidade de Lisboa. Em frente a um antigo mosteiro fomos abordados por vendedoras de tecidos as quais abordamos de volta falando sobre o Senhor Jesus. Uma delas abriu o coração para a proclamação; ela se chama Catrina. Ficamos compartilhando, orando e edificando esta moça por alguns minutos, o suficiente para juntar uma meia dúzia de outras mulheres pedindo oração. Catrina ficou totalmente quebrantada, e fez contato no outro dia dizendo que havia marcado uma reunião em sua casa com toda sua familia e vizinhos. Lembramos muito de Paulo e Lidia com esta situação e ficamos cheios de fé.

Catrina

No outro dia ministramos para a comunidade que o Anderson pastoreia em duas reuniões, sendo que uma era para líderes. Cerca de 60 pessoas  se reuniram em um clube de esportes em Almada, cidade próxima a Lisboa. Tivemos com eles novamente no dia seguinte para um dia inteiro de comunhão com almoço e mais uma reunião, desta vez na garagem de uma casa.

Compartilhamos e fortalecemos os irmãos, orando por cada um, ouvindo suas histórias e necessidades. A grande maioria deste grupo é feita de  imigrantes brasileiros, e que através da Igreja e de Jesus podem realinhar suas prioridades e vidas conforme caminham. A maioria esmagadora vem motivada pelos Euros. A maioria volta ao Brasil enquanto a crise aperta o país que lhes foi abrigo e fonte de provisão. A ênfase na voz do Espirito Santo está no desejo de ver os brasileiros aqui como missionários e pregadores do evangelho, uma vez que já estão no campo, já tem suporte financeiro próprio e podem ser uma resposta à esta urgência. Fortalecemos os irmãos para que não sejam guiados pelo fator econômico, mas sim pelo Senhor Jesus.

Também foi lindo ver os Portugueses nativos, pastores e irmãos nos agradecendo por ser um alento e um sopro de vitalidade. A distribuição dos CDs também foi importante, devido a afinidade da lingua, e foi lindo ver Uns Aos Outros funcionando em Portugal🙂

E a história da Catrina, como acaba? Acaba que fomos visitá-la em um bairro popular (eles provavelmente eram ciganos, mas não ciganos como no Brasil, que tem um ministério intinerante. Estes aqui tem morada fixa) e ao entrar na casa somos recebidos por nada menos que 30 pessoas, na sala.

a casa da Catrina

Ministramos com ousadia o evangelho redentor de Cristo para todas as nações. Ao fim do compartilhar eu cantei Maravilhosa Cruz, e o céu caiu sobre nós. Todos ou se converteram ou se reconciliaram (Catrina mesmo estava desviada) e receberam o Espirito Santo de forma visível. Apenas um adolescente já era cristão e sobre ele profetizamos palavras de enconrajamento.

Era surreal estar numa casa de Portugueses com tanta liberdade! Faziamos tanto barulho que as pessoas na rua perguntavam o que estava acontecendo. Ficamos combinados de abrir ali um novo grupo, e o Anderson se comprometeu em continuar o trabalho que virá a diante com aqueles novos irmãos. Uma família em uma noite! Esta é uma daquelas história que lemos nos livros dos antigos avivamentos.

Antes disso, numa das madrugadas, eu e Alam saímos pelas ruas da cidade velha de Lisboa, e vimos milhares de jovens pelas ruelas apertadas. Uma gente linda, diversas nacionalidades, uma mesma necessidade. Naquela noite orei ali mesmo na rua para que houvesse um avivamento aqui. No dia seguinte visitamos Catrina e meus olhos viram a resposta daquela oração.

Nossa estada em Portugal foi basicamente isto, e os vários momentos individuais com os irmãos. O resto foi souvenirs e fotos.

Detalhe Importante: Cuidado ao visitar uma casa de fado em Lisboa! A coca-cola ou o suco de laranja pode lhe custar o olho direito, ou um dos rins. Fado é um estilo musical típico Português, um tanto quanto triste. Foi exatamente como fiquei quando paguei 8 Euros numa coca 200ml. Pior para a irmã que pagou 11 Euros numa taça de suco. Só Deus.

Alemanha, Bélgica e Holanda: Frankfurt, Nidda, Aachen, Dusseldorf, Heerlen, Brugge.

Saímos de Portugal no dia 25 de manhã bem cedinho e voamos para Frankfurt sem nenhum contratempo. Já nos esperava no Aeroporto o Sergio Veiga, grande articulador da Igreja na Europa, fazendo conexões maravilhosas entre ministérios e irmãos. Também nos esperavam Kristian e Viktor, motoristas da Van e missionários da AVC, a agencia missionária que iria nos hospedar, alimentar e ceder o local para o retiro que iríamos participar em Nidda.

Nidda uma cidadezinha do interior da Alemanha, onde até postais é difícil de se achar. Ruas apertadas, casas tipicas, folhas amarelas e vermelhas pela rua a fora. Aquele frio e aquele casaco.


Começando pela missão que nos recebeu, estes irmãos estão em nada menos que 70 nações do mundo levando ajuda humanitária e pregando o evangelho do Reino. Sabe quem eles resgataram em uma das visitas a China? O Homem do Céu, conhece? O Irmão Yun foi resgatado e trazido a Alemanha para obter asilo político através destes irmãos! Fiquei impactado ao perceber o tamanho e a importância das pessoas com quem estava em contato.

Não estava apenas em contato, mas sendo servido por cada um deles de uma forma linda. Sim, o povo é reservado, mas se sente o amor pelo serviço e inclusive pela beleza de casa prato, organização das mesas, cada guardanapo bem dobrado. Tudo muito lindo, e gostoso! Eu e Alan ficamos hospedados junto com os jovens missionários enquanto o resto do grupo ficou no local onde aconteciam as reuniões, que era tipo um hotelzinho.

Quem comandava tudo era a dedicada Christina, Brasileira na Alemanha desde 1990 e uma das diretoras de AVC.

O Retiro é a reunião das coberturas apostólicas na Europa do Jamê Nobre de Jundiaí/SP e do Vinci, e as conexões feitas pelo Sergio Veiga, na Europa já a 12 anos.

Havia missionários de diversos Países como Inglaterra, Portugal, Espanha, Holanda, Bélgica, Suiça de todas as partes, Luxemburgo, Alemanha, Ucrânia, Afeganistão, pra se dizer os que eu conversei pessoalmente.

Todos eles com cargas para repartir, testemunos para compartilhar e amor pra receber. Este encontro é como um oásis no deserto para a grande maioria que mora e trabalha isoladamente em algum canto deste. Por isto é vital que missões seja feita a partir da Igreja e com vistas a Igreja na localidade onde chegou. Para que haja uma familia e não ativismo.

No encontro Vinci e Jamê compartilharam diversas palavras poderosas e todos sairam revigorados. Tambem recebemos a visita do Ucraniano Wladmir que é fundador da AVC e o novo diretor, o Pavel, que passou lá antes de partir para mais um projeto missionário no Sudão.

A adoração também foi um momento precioso, e nos revezamos eu e o Marcelo da Inglaterra. O pessoal ficou animado com os CDs grátis, até os Alemães.

Na Base da Missão Alemã AVC

Partimos depois de muito e muitos “abraços e até breve”. Chegamos ao aeroporto de Frankfurt, onde tivemos dificuldades com o Checkin devido a uma bolsa abandonada próximo a onde estávamos. No final tudo deu super certo, e chegamos a Dusseldorf ainda de dia. Encontros e desencontros de aeroporto e partimos para a casa do Sergio Veiga em Aachen, importante cidade ao Oeste da Alemanha. Cidade de Carlos Magno, fonte de águas quentes e curadoras, fronteira com Bélgica e Holanda. Ali seria a nossa base para expedições nestes outros 2 países mencionados.

Na Alemanha ministramos 2 cultos no domingo. No primeiro, eram somente alemães, muitos velinhos (super carinhosos) e quase nenhum jovem.

Tivemos a oportunidade de cantar uma canção em Português e logo após a palavra oramos por todos que desejaram. Ouvimos que era uma coisa rara ver tantos alemães chorando e recebendo mais do Espirito Santo. Foi bonito de ver! Orei por um menino com sérios problemas de coluna que teve suas pernas igualadas e pode se abaixar sem dor. Também compartilhei com o pastor alemão (sem trocadilhos) sobre uma palavra e conhecimento para cura de Câncer, perguntei a ele quem era o caso: Era ele mesmo! Orei com ele e ele ficou muito agradecido.

Marcia e Dag, Ari, Alan

A noite fizemos um culto em Português, Espanhol e Alemão, pois haviam nada menos que 18 nacionalidades presentes no salão. Foi parecido com o Céu (penso eu!) ter tantas línguas, povos e nações ali reunidas para adorar.

Na Holanda tivemos com uma comunidade de Latinos que usa o prédio de uma comunidade Holandesa para suas reuniões. Fiquei muito pensativo sobre a importância que deve haver em o imigrante se integrar a sociedade e a cultura do local onde está, em contra partida a necessidade de manter viva sua própria cultura e de formar grupos de afinidades. Eu não sei onde é o meio termo, mas sinceramente creio que o imigrante deva se adequar e não subdividir. Se integrar sim, mas sem se tornar outra pessoa. É possível? partindo do ponto que nossa naturalidade não é relativa as nações deste mundo e sim ao Reino de Deus, eu creio que é possível coexistir de forma construtiva e progressiva rumo ao que seremos quando Jesus for o Rei de todos os povos.

Na Bélgica nós visitamos uma casa. Um casal que casou uma filha com um brasileiro de Vitória e que através deste contato tem vivenciado a experiência da Igreja de forma mais orgânica, e com uma bela história. Ali tivemos a oportunidade de ver florescendo uma igreja caseira dentro de uma realidade totalmente antagônica a nossa. É encorajador ve-los, por mais que eles mesmos não se vejam. Creio que ali fomos mais abençoados que qualquer outra coisa, embora nosso papel fosse incentiva-los a manter e guardar o terreno conquistado. Que irmãos preciosos!

Belgica: Casal Precioso

Sobre a estada na Alemanha e a visita a Bélgica e Holanda, creio que a ênfase do Senho foi motivar-nos a viver e experimentar o Senhor Jesus em todos os lugares, e nunca deixar que a frieza, a cultura, as diferenças bloqueiem o mover de Deus. Aprender a conciliar o respeito com a novidade, honrar sem deixar de ser quem somos. É muito complicado ser um missionário nesta realidade cultural, e o perigo maior é se tornar refém e escravo do temor dos homem. Será que é possível isto? Eu não tenho esta responta. Eu creio que a Igreja em qualquer contexto deve ser a Igreja como ela foi projetada para ser: Uma Familia de Muitos Filhos Semelhantes a Jesus, para a Glória de Deus Pai. Nisto eu creio, realmente creio que isto pode estar acima da ‘cultura’.

Holanda

O relacionamento diário com os missionários brasileiros na Alemanha Sergio e Margarida foi muito bonito. Eles são preciosos e disponíveis como poucos, e mesmo com pouco recurso humano eles realizam um excelente trabalho. Alguns irmãos se destacaram por buscarem comunhão e contato, como a velinha que nos ofereceu um almoço, o chileno que me deu o CD e a moça alemã que traduz pro português, canta, e tudo mais que tiver pra fazer. Beautiful People🙂

Na terça-feira 01 de novembro voltamos ao aeroporto de Dusseldorf e ali foi a última vez que estive junto da equipe. Eles voaram para Budapeste na Hungria, onde terão os merecidos dias de descanso. Eu esperei mais meia hora e peguei um voo para Dublin, na Irlanda. Já na fila do embarque começei a sentir o clima mudando, com um lindo casal Irlandês puxando conversa, trocando contatos e marcando de se ver. Dei um CD pra eles.

3 fronteiras

Nossa estada na região das 3 fronteiras foi basicamente isto. O resto foi souvenirs, fotos e muitos chocolates.

Ah sim, o milagre da multiplicação. Simplesmente apareceu 200 Euros na minha carteira, do nada. nada mal, hein?!

Irlanda: Dublin.

Aqui a ênfase é estar com a familia. Meu irmão Gustavo e minha irmã Janine moram aqui e eu estava com muitas saudades deles.

Ainda está só no começo mas já está muito bom, com boas coisas para compartilhar. Em breve continuo o report:)

Com a Vineyard Dublin

se você leu até aqui, não custa nada deixar seu parecer.

Com amor pra você,

Victor Vieira

Confira no Slideshow todas as fotos

Este slideshow necessita de JavaScript.

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

21 Respostas to “Report / Portugal + Alemanha + Holanda e Belgica / com Fotos”

  1. Mari Says:

    Que maravilha pops!!
    Deus abençoe muito você!!!!
    beijaooooo

    Curtir

  2. Munique Oliveira Says:

    Maravilhoso! Assim como tudo o que Deus faz… Fico maravilhada com tudo o que Deus está fazendo em sua vida, Victor! Desde a gravação do CD até essas experiências magníficas…. Ele é Bom! Que o Pai continue derramando sobre você e sobre sua esposa tudo de lindo que Ele preparou.

    Abraço!!

    Curtir

  3. Lucas G. Says:

    Pô Victor, que insano esse seu relato brother…realmente é encorajador que existem pessoas de Deus que estão levantando e consolidado o Reino de Deus na Europa, pra mim pelo menos foi incentivador e um “lembrete” para mim que não existem barreiras pra o evangelho.

    Bacana demais brother, roots demais…mantenha-nos informados hahaha

    abraços

    Curtir

  4. edelga Says:

    UAU, sem palavras…Me deu vontade de chorar, de verdade. Que vontade de estar ai e experimentar tudo isso também. Na próxima vez me chama com antecedência ta? Presente de Deus essa viajem pra vc, o que veio na minha mente foi que a experiência passada serviu como um teste, nao houve murmuração, nem questionamentos da sua parte, vc foi aprovado… Agora ta vivendo o que Deus tem de melhor, unção, serviço e os sinais te seguindo. Que bom. Saudade de vc. Qdo voltar me liga. bjao, que Deus continue te abençoando ai.

    Curtir

  5. christine Says:

    Vc é munido de vários dons, esse de relatar é especialmente delicioso, contagiante, surpreendente, vivo, transportador, delicado, bem humorado, autentico, revigorante, desbravador, superativo, emocionante e …
    eu me realizo em sua expedições!

    mamy

    Curtir

  6. Dri Mariano Says:

    muito obrigada pelos retornos da viagem!!!
    esperamos com muita alegria tê-los de volta ao nosso meio e podermos ouvir mais.
    Que o Senhor Jesus continue conduzindo esses últimos dias de viagem.

    Curtir

  7. Jefferson Nascimento Braga Says:

    bacana de mais cara.. num sei se vc sabe mas vc é um exemplo pra mim! manda vê !

    Curtir

  8. Black Holes and Hurricanes Says:

    Linda, linda a obra que Deus realiza através de vocês, e como é genuíno seu amor por Jesus! Que os seus passos continuem seguindo os Dele.
    Parabéns! Deus abençõe😀

    Curtir

  9. Raphael Jonsson Oliveira Says:

    bom ver vc vivendo pra Jesus mano, e incentivando a Igreja a tomar sua posicao onde quer que esteja.
    sou teu fa, sou teu brother
    rapha

    Curtir

  10. Scheilla Says:

    victô, eu li.

    que o desprendimento e o amor ao próximo possam ser luzes íntimas que te façam perseverar, sobretudo no impulso de perceber as verdadeiras necessidades do outro.

    abraços com carinho,
    scheilla.

    Curtir

  11. Dublin – Irlanda 2011 « victor vieira blog Says:

    […] Também: Report / Portugal + Holanda + Belgica Eu Quero Compartilhar!ShareLike this:LikeBe the first to like this […]

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: