O Homem Incandescente 1: Uma Vida Digna de Imitação

Captura de Tela 2015-02-02 às 18.33.30

O Homem Incandescente 1: Uma Vida Digna de Imitação

Pouco tempo depois que me converti, recebi uma pilha de sermões de um pregador inglês chamado Leonard Ravenhill (1907-1994). Uma das mensagens era um esboço da vida e do ministério de João Batista, intitulado “O Homem Incandescente”. O Senhor usou a mensagem para agitar o que, agora, se tornou mais de uma década de considerações sobre o que a Palavra diz sobre o maior homem nascido de mulher (Mateus 11.11). A consideração de sua vida trouxe tanta definição à minha vida, ao passo que o Senhor continuou enfatizando a permanente relevância da mensagem e mandato do ministério do precursor, como revelado na Palavra.

Nas semanas e meses seguintes, escreverei sobre o Homem Incandescente e quero te convidar a se juntar a mim nas considerações renovadas de sua vida e seu legado, não com o propósito educacional, mas de imitação.

INTRODUÇÃO: O MAIOR HOMEM JÁ NASCIDO DE MULHER

O narrativa do Evangelho inicia com dois primos, com uma diferença de seis meses de idade. Eles são os maiores homens que já estiveram nessa Terra: Jesus de Nazaré e João, o Batista.

Esta série de artigos foca no mais velho e em seu ministério de exaltar seu Primo mais novo, o Eterno “Filho do Altíssimo”.

Enquanto Jesus merece eternamente mais atenção e infinitamente mais afeição que João, uma meditação no ministério e na mensagem do Batista de forma alguma intenta roubar glória do Mais Preeminente. Ao invés disso, um estudo no Nazireado (se for bem feito) tem o potencial de agitar dentro de nós um amor ainda mais fervoroso pelo Nazireu cujas sandálias João se declarou indigno “de desatar a correia” (João 1.27).

Nas palavras de um apóstolo, João “não era a luz, mas veio para dar testemunho da luz” (João 1.8). Se iniciarmos uma meditação sobre a vida daquele que “era como a lâmpada que ardia e brilhava” (João 5.35) com isso em mente, seremos ricamente edificados.

João não é o Cristo. Portanto, ele não requer a lealdade ou adoração que Jesus requer. Mas seria sábio da nossa parte escutar seu depoimento e considerar seu testemunho. Especialmente nessa hora de aproximação do dia da volta de Jesus e da consumação desse Era presente.

Que a mensagem desta série de artigos seja fortalecedora daqueles que também foram chamados para esse ministério crucial, neste momento crucial da história.

 

Continua…

 

Texto original de Dalton Thomas

Traduzido por Christie Vieira Zon

Tags: , , , ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: